sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FINAL DE ANO*

Lá vem o trem, lá vem o trem, lá vem o trem...
Tanta bagagem, gente ansiosa,
Gente que despede, manda recados,
Chora, aconselha, entrega matula,
chiiiuuuuummmm....

Parou o trem!
Meu pai me põe escada.
Tenho medo de cair,
Entro correndo no vagão!
Vem mãe!
Quero ir na janela,
Quero assentar do lado da janela, mãe!
Quero ver o povo,
Quero ver o mato,
Quero ver a casa pequenina no mato,
Quero ver o rio,
Quero ver a ponte, a vaca...
Mãe!

Bate o sino, lá vai o trem!
Lá vai, lá vai, lá vai!
O trem ta correndo!
O chão ta correndo,
Olha a vaca, mãe!
Olha o rio, ta muito cheio mãe!
A ponte agüenta o peso do trem?
Ta tão cheio, deve ta pesado, mãe!
Tudo ta correndo...
As casas, o mato, as arves, as nuvens.
Todo mundo, balançando no trem!
Mãe, to enjoando!
Acho que vô vomitá mãe!
- Vai passá, vai passá, vai passá.
Passando a mão na minha testa suada,
-Bebe Água Tônica que passa!
Mãe é pior, mãe! Ela fede mais que janela de trem!
Lá vai o trem! Lá vai o trem! Lá vai o trem!
Meu Deus, corrreee treeemm!

O trem para prá beber água na muchiba.
Começa a andar devagar, apita,
Uma menina sozinha, na estrada me sorri e dá adeus!
Ponho língua de fora prá ela.
Corre trem, corre trem, coorree trem!
Será que alguém viu?
Olho prá minha mãe, feliz com uma criança no colo!
Nada viu. Ainda bem, ainda bem, ainda bem!
Lá na estação, desce gente, sobe gente,
Sobe malas, meninos choram!
Meninos vendem frutas nos balaios.

Lá vem o homem de uniforme e chapéu azul!
Tenho medo desse homem, mãe!
É O GUARDA DO TREM! TEM ASSOBIO PRÁ CHAMAR A
POLÍCIA!
Será que ele viu, eu, pondo lingua prá menina?
Ai mãe, será que ele vai por eu pra fora, agora?
E se minha mãe não ver? Vou ficar na estrada igual à menina!
Ai meu Deus, acho melhor eu dormir...
Tadinha da menina, queria me fazer um carinho!
Mora no mato, não sabe porquê fui má! Nem eu!
Por hoje chega! Deus não está feliz comigo. Nem eu!
Acho melhor eu dormir!

Já vou...já vou... já vou...
Lá vai o trem, cheio de sorrisos na janela.
Tadinha da menina, que nunca mais esqueci.
Procuro por ela nas estradas, quando passo por aqui!
Terá sido um anjo? Por que fiz assim?
Se a visse de novo, lhe daria tantas flores, tanto beijo, brincaria
com ela, iria na sua casa, ouviria seus casos, brincaria de boneca...
Será ... que... ela... tem... boneca...?
Deve... ser... de...pano... com... olhos fechados...querendo dormir...
Lá vai o trem, lá vai o trem, lá vai o trem!
Sumindo... sumindo...sumindo...na curva dos trilhos!

Rosa Negra- rosabgontijo- 05/11/2010