terça-feira, 27 de dezembro de 2011

DESEJANDO



Que o sagrado permaneça,
O puro transpareça,
Bondade acrescente...

Caridade multiplique,
Alegria faça morada,
Confiança celebre,
Com almas purificadas.

Desencanto retire,
Entendimento volte,
Sonhos realizem.

Doçura apresse...
Rios de águas transparentes,
Lave o impuro, limpando mentes.
Renasçam, a cada aurora.

Germine cada semente
Trazendo vida renovada,
Com novos pensamentos.

Coração e espírito elevados.
Sintam o amor renascendo!
Paz chegando agora...

Rosa Negra- Rosabgontijo-01/03/2010

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FINAL DE ANO*

Lá vem o trem, lá vem o trem, lá vem o trem...
Tanta bagagem, gente ansiosa,
Gente que despede, manda recados,
Chora, aconselha, entrega matula,
chiiiuuuuummmm....

Parou o trem!
Meu pai me põe escada.
Tenho medo de cair,
Entro correndo no vagão!
Vem mãe!
Quero ir na janela,
Quero assentar do lado da janela, mãe!
Quero ver o povo,
Quero ver o mato,
Quero ver a casa pequenina no mato,
Quero ver o rio,
Quero ver a ponte, a vaca...
Mãe!

Bate o sino, lá vai o trem!
Lá vai, lá vai, lá vai!
O trem ta correndo!
O chão ta correndo,
Olha a vaca, mãe!
Olha o rio, ta muito cheio mãe!
A ponte agüenta o peso do trem?
Ta tão cheio, deve ta pesado, mãe!
Tudo ta correndo...
As casas, o mato, as arves, as nuvens.
Todo mundo, balançando no trem!
Mãe, to enjoando!
Acho que vô vomitá mãe!
- Vai passá, vai passá, vai passá.
Passando a mão na minha testa suada,
-Bebe Água Tônica que passa!
Mãe é pior, mãe! Ela fede mais que janela de trem!
Lá vai o trem! Lá vai o trem! Lá vai o trem!
Meu Deus, corrreee treeemm!

O trem para prá beber água na muchiba.
Começa a andar devagar, apita,
Uma menina sozinha, na estrada me sorri e dá adeus!
Ponho língua de fora prá ela.
Corre trem, corre trem, coorree trem!
Será que alguém viu?
Olho prá minha mãe, feliz com uma criança no colo!
Nada viu. Ainda bem, ainda bem, ainda bem!
Lá na estação, desce gente, sobe gente,
Sobe malas, meninos choram!
Meninos vendem frutas nos balaios.

Lá vem o homem de uniforme e chapéu azul!
Tenho medo desse homem, mãe!
É O GUARDA DO TREM! TEM ASSOBIO PRÁ CHAMAR A
POLÍCIA!
Será que ele viu, eu, pondo lingua prá menina?
Ai mãe, será que ele vai por eu pra fora, agora?
E se minha mãe não ver? Vou ficar na estrada igual à menina!
Ai meu Deus, acho melhor eu dormir...
Tadinha da menina, queria me fazer um carinho!
Mora no mato, não sabe porquê fui má! Nem eu!
Por hoje chega! Deus não está feliz comigo. Nem eu!
Acho melhor eu dormir!

Já vou...já vou... já vou...
Lá vai o trem, cheio de sorrisos na janela.
Tadinha da menina, que nunca mais esqueci.
Procuro por ela nas estradas, quando passo por aqui!
Terá sido um anjo? Por que fiz assim?
Se a visse de novo, lhe daria tantas flores, tanto beijo, brincaria
com ela, iria na sua casa, ouviria seus casos, brincaria de boneca...
Será ... que... ela... tem... boneca...?
Deve... ser... de...pano... com... olhos fechados...querendo dormir...
Lá vai o trem, lá vai o trem, lá vai o trem!
Sumindo... sumindo...sumindo...na curva dos trilhos!

Rosa Negra- rosabgontijo- 05/11/2010

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

NATAL PARA SEMPRE ENCANTAMENTO

Naquela casinha de madeira
Pinheiro, luzes piscando,
Neve caindo de mansinho,
Estrelas incontáveis no céu.

A casa, verde e vermelho,
Cercas branquinhas,
Janelas com cortininhas e babadinhos,
Me levou a sonhar com Papai Noel e renas

Brincaria com ursos enormes, mansos,
Esquilos tão bonitinhos, passarinhos,
Trutas saltando no riacho,
Na varanda, cadeira de balanço.

Porque fazem coisas tão lindas,
Que levam gente grande,
Querer ser criança, de novo?
Já cresci, não posso caber ali!

Quero voltar no tempo,
Quero ficar pequena,
Como nas histórias,
Onde nunca envelhecemos!

Nos meus sonhos desenhei
Fiz na mata, uma casa igual.
Quando entro nela,
Sinto todo encantamento
Penso sempre que é Natal!

Rosa Negra- rosabgontijo-13/12/2007
NATAL DE FÉ

De Maria e José a aceitação...
Humildade e doação!
Do céu veio até nós a esperança,
A paz, o amor e a renovação.

Nasce o Salvador!
No céu anjos tocam trombetas,
Estrelas brilham mais!
Na terra homens aguardam...

Sinos, joelhos, dobrem!
O Divino já é presente,
Homens reconheçam a santidade
Entre nós mora o que é Perfeito.

Corações,
Acolham, amem sem limites!
No presépio, brilha a Estrela Maior,
Jesus feito Criança!


Rosa Negra- Rosângela Brasil Gontijo-01/12/2011

domingo, 4 de dezembro de 2011

AS MÃOS

Foram várias as vezes
Ali
De joelhos
Eu olhava as mãos
Não entendia porque tanto rezava
De óculos verdes
Na igreja

Depois;

Mais um passeio.

Daniel Brasil Gontijo- Para seu avô, Otávio Brasil- LEMBRANÇAS-03/12/2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

RECORDANDO

Onde estão os natais que vivi?
Na memória da criança
Que ainda existe em mim.

Esperando pelo dia de viajar...

Onde está meu pai, para me colocar no trem?
Onde está minha mãe, para advinhar meus sonhos?
Os braços do meu avô para me tirar pela janela?
Os de minha avó para me abraçar?
Meus tios trazendo brinquedos?
Meus primos queridos?
Minha tia alegre, sorrindo, tão linda!
Onde está a arvore de natal, tão pequena,
Em cima da cristaleira? Nada mais vejo!
Nem sala, nem a casa,
Nem a rua quero olhar!
Nem o quintal, e o luar!

Apagaram as luzes das vitrines!!!
Onde está a menina, de cabeça molhada,
Andando pelas ruas, encantada,
Com as musicas natalinas?
O presépio, na casa de Deus,
Onde minha avó me levava...
O terço, onde meu pai sempre ria,
De tantas graças que minha avó pedia?
Onde está a alegria? Que a menina guardou?
E a hora da ceia, que sempre perdia,
Que minha avó prometia sempre me acordar!
E nunca acordou...

Cadê o outro dia? A minha tia?
Cadê a minha tia?
Que vento levou?
A reunião na cozinha, a alegria,
Por que acabou?
Os ladrilhos, que tanto olhei, até decorei...
Cadê meus presentes, que meus pais compraram?
Cadê os meus sonhos?
Onde foi parar minha infância?
Que eu tanto guardei, quem levou?
Por que o tempo passou?
Cadê o meu pai,que era Noel?
O MENINO JESUS ficou!


Menina, acorde!
Monte a árvore,
O presépio para seus filhos!
Sua hora chegou!

Rosa Negra- rosabgontijo-03/12/2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

RECONSTRUÇÃO


Como uma virgem
Guarda seu corpo,
Tatuei minhas verdades,
Que acreditava serem absolutas.
Quando a fina seda, deslizou até meus pés,
Me despi do medo!
Tirei máscaras, pendurei-as na parede,
Caída e caiada de cor púrpura.
Meu amor? Foi jogado no chão,pisoteado,violentado...
Coisa para não ser esquecida.
Morri metade no tapete de saída.
Dali voei como se fosse alada.
Retirei meu batom, para falar de amor.
Banhei nas lágrimas soluçantes da dor nascente.
Naquele dia, minha covardia escorreu por entre pedras,
Se esvaindo, se despedindo.
Retirei os saltos, que eram correntes, grilhões.
Pude correr livre, como uma criança.
Dos olhos, arranquei as vendas.
Enxerguei por fora e dentro de mim,
Reconheci pessoas que me amavam.
Não quis tirar os espinhos, aceitei meu destino.
Enxuguei no manto rubro de sangue,da dor pungente.
Coloquei uma veste sem cor, sem flor!
Já não precisava delas,
Compreendi a importância do amor vital.
Meu jardim, havia brotado, crescido, florido...
O passado, apaguei, transformei, dor em luz.
No meu caminho brilham vagalumes.
Reluzem estrelas errantes.
Colorem palavras sementes.
Doces sorrisos amigos,veem perfumar minha essência.

Rosa Negra- rosabgontijo-21/10/2011

terça-feira, 25 de outubro de 2011

GOSTO DO SEU CHEIRO

Sempre gostei.
Quando se aproximava
Sentia que cheirava a trabalho,
Mas, perfumado com o que lidou.

Perfume que lembra namoro, despedida ou chegada,
Saudade, abraço corrido, beijo escondido, libido desesperado.
Seu cheiro trás lembrança, sopro de juventude, coração acelerado...
Namoro na casa dos meus pais.

Gosto do cheiro do homem do campo que galopa a cavalo
Percorre os lugares, apressado, sem tempo.
Abre porteiras, recolhe o gado, sente o tempo, o vento.
Olha o céu, as nuvens, a terra, estará amanhã, seca ou molhada?

Quando vem te prendo em meus braços
Beijos demorados, mãos que acariciam...
Vezes sem conta, abraça-me suado, corado,
Lembra a saúde o homem cansado!

Gosto do cheiro de banho tomado logo que escurece
E em seus braços acolhe-me com beijos de saudade,
Com cheiro de sândalo e cabelo molhado...
Atiça a fêmea que dorme ao seu lado, apaixonada.

Gosto do cheiro do homem elegante
Que veste terno e gravata.
E dança comigo o homem que encanta meus olhos.
E volto a lembrar que no passado usava “Lancaster”

Rosa Negra- Rosabgontijo- 16/09/2008

terça-feira, 18 de outubro de 2011

TISUNAMI

Quando a fúria tomou conta de Poseidon,
Estremeceu o fundo do mar!
Tridão, violento gigante das águas,
Embebedou-se com Dionísio, sugando o mar.
E depois vomitou toda sua fúria.
Com seu tridente, Poseidon levantou,
As mais altas ondas já vistas.

Sem saber o que fazer, elas fugiram para a cidade!
Desesperadas, corriam, invadiam, procuravam abrigo!
Era um mar de águas salgadas, endoidecidas!
Mais salgadas agora, depois da de vastidão.
Com o sal das lágrimas choradas, em cada escombro,
Afogadas na lama, nos lares desfeitos, nos olhares perdidos...

Por ali passou Neneu deixou restos de juncos, folhas marinhas!
Depois veio o carro de Hades, buscar as almas dos mortos,
E restituir, a outros, o dom da vida.
Selene, do céu tudo via, na plácida noite!
Quando tudo passou, renascia Afrodite,
Na espuma do mar, na Ilha De Chipre...

Rosa Negra- rosabgontijo-18/10/2011

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

MINHAS PROFESSORAS DO PRIMÁRIO-1957/1961

GRUPO ESCOLAR AMÂNCIO BERNARDES

Shirley Rose
Professora elegante e bela,
Tinha perfume no nome,
Rosa colhida no caminho da escola,
Levava todo frescor, orvalho da manhã!
Trazia a primavera dentro dela!


Vânia Coutinho
Como uma violeta rara,
Ainda delicada, elegante, discreta...
Ainda com olhos verdes, tão sinceros, tão brilhantes!
Ainda com um sorriso encantador...
Competência absoluta!
Amizade feita, nunca perdida.
Em minha vida, nunca esquecida!


Marlene Oliveira
Professora tão preciosa!
Forte, sábia, educada, amiga.
Que seria ela em minha vida? Um campo, de lírios amarelos,
Ou de margaridas?
Tão simples, generosa, indefinida!
Quando entrava na sala, tudo coloria!
Quanta saudade de sua presença...
Belos tempos, quando sua presença sentia!


Ângela Camilo
Sorte, muita sorte, de quem dela foi aluno!
Além de grande mestra, era grande seu encanto, seu carisma!
Sentia em seus gestos delicados, em seu carinho materno,
Em suas lições de vida, em sua sabedoria infinita,
Um “bouquet” de camélias, ou seriam as orquídeas?
Sei em meu coração agradecido, que nunca foi esquecida!
Minha professora querida, tão amada, tão bendita!



Rosângela Brasil Gontijo-Rosa Negra-19/09/2011

blog-http:rosanegradesamonte.blogspot.com

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

COMERCIANTE

           

A criança que nem entendia as palavras
Pegava garrafas no quintal
Seguia até a esquina.
Queria vendê-las, fazer uns trocadinhos!
       
No armazém do Sr. Chico
Ela mal alcançava o balcão
Na ponta dos pés oferecia as garrafas 
No amigo depositava sua esperança!
      
Mas sempre se esquecia, Comprar ou vender?
Ela decida! Como gente grande, dizia:
- Quero comprar as garrafas!
Sr. Chico corrigia: - É vender minha filha!

Ele dava os trocados e sorria, balançando a barriga.
Dava uma baforada no ar, soltando fumaça do cigarro de palha!
O cachorro deitado era indiferente ao quadro.
Ela descia as escadas, feliz da vida
     
Seguia tentando entender, para a próxima vez!  
Com tanta euforia, já não sabia, o que iria dizer, 
Teria comprado ou vendido,
Toda sua alegria?

Rosa Negra- rosabgontijo-10/08/2011



ALGODÃO DOCE


A menina se encantou,
Quando, na cidade grande, conheceu 
Aquela coisa mágica, desconhecida,
Que derrete na boca!
Em casa quis comer de novo.
Colocou o algodão no caneco,
Jogou açúcar por cima
E mexeu, mexeu!...
Mas nada aconteceu!
O pai ficou bravo, não entendeu
A inocência da menina...

Rosa Negra- rosabgontijo-05/12/2006

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A VELHICE

A VELHICE

Oh! Deus dos desamparados,
Cuida do idoso do mundo,
Ponha bálsamo no seu coração,
Também, cuida do seu corpo.

Traga paciência para os filhos,
Amor para quem cuida!
Para cada semente gerada,
Traga carinho, respeito, reconhecimento,
Para ser doado.

Não seja o filho, o que canse, nesta jornada!
                 Trazendo a morte em vida.
Como uma bala, ainda que perdida, acerta o alvo!
E faz o coração sangrar todo dia.

Não deixe que o idoso se sinta um fardo,
Um peso difícil de carregar.
Não permita meu Senhor,
Que sua maior dor, seja, se sentir sem valor!

Rosa Negra – rosabgontijo-18/12/2010

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

                  PACTO

A ROSA DESABROCHOU RADIANTE
O JARDIM ENFEITOU, COM TODO SEU ESPLENDOR!
EXALOU TODO SEU PERFUME, INEBRIOU!
QUEM A OLHOU SE ENCANTOU

AO AMANHECER, AINDA MAIS LINDA,
MOLHADA PELAS LÁGRIMAS DO ORVALHO,
NA MADRUGADA, COM ELE COMPACTUOU.
QUANTO MAIS FRESCOR, MAIS HEI DE DURAR!

ENQUANTO OUTRA FLOR DESPONTAVA,
E OUTRAS TANTAS MAIS.
O JARDIM TÃO VAIDOSO ESTAVA,
QUE AGRADECEU, À NATUREZA CUIDADOSA!

ROSA NEGRA-rosabgontijo-15/09/2006

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

VERGONHA

     VERGONHA

   Quando penso no que acontece
   Em quase todos os lugares
   Envergonho-me da raça humana.
   Muitas vezes bichos dividem...
 
  Lembro, alimentos perdem,
  Nos armazéns do governo.
  Os responsáveis,
  Nem sabem o que tinham ali.

 Enquanto pessoas morrem
 Sem ter o que comer,
 Outros dormem tranqüilos
 Não se preocupam com o sofrer.

Nem veem
Que a vida depende de serem,
Eficientes, responsáveis, humanos.
O que prometeram ser, antes de serem.

Rosa Negra- rosabgontijo-05/12/2007 

MEUS OLHOS

             MEUS OLHOS
           
            O que mais gosto em mim? São os meus olhos!    
            Meus sentidos neles expressos.
            Como olhos de criança
            Denunciam o que não revelo.  

            Quando meu pai adoeceu,
            Meus olhos deram de inundar,
            Igual época de chuva forte,
            Quando cai água em abundância.

           Quando ele faleceu,
           Meus olhos transformaram em brejo seco.
           Em terra do agreste, quando a seca é brava!
           Quando sol queima, chão racha, revolta quem vê morrer!

           Quis que minha dor, virasse uma fonte,
           E dois rios de lágrimas, escorressem pela terra árida.
           Depois,
           Chorei vinte anos, nem um dia menos!
          
           Meus olhos ficaram férteis,
           Neles brotaram flores de Lótus,
           E comecei a enxergar poesia,
           Em tudo que minha alma via.

           Rosa Negra- rosabgontijo-08/08/2011  

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Minas Gerais

                        
               
Nesta terra, já habitaram:
Índios, escravos, portugueses,
Coronéis, reis, rainhas, príncipes, princesas.

Massacrados por ambição,
            Índios perderam sua continuação.
            Negros libertados, coronéis desesperados!
            Imigrantes chegaram sonhando com ouro no chão.
           
            Dessa terra abençoada, roubada,
            Das minas os diamantes, esmeraldas,
            Valiosas pedras preciosas.
            O ouro, também levado para Portugal.
           
            Nessa terra, de heróis e mártires,
            Artistas, em sua arte, registram obra imortal.
            Ricas igrejas barrocas, trabalhadas.
           
            Homens, santos, anjos,
            Esculpidos em pedra, madeira.
            Pinturas, livros, arquitetura, música,
            Herança deixada por quem viveu e sentiu.
           
            Cenário de emocionante passado,
            Essas cidades mineiras!
            Relíquia que o tempo não consumiu!
            Obras dos artistas, vista, falada, real!

           Rosa Negra- rosabgontijo-25/07/2011     
    

quinta-feira, 23 de junho de 2011

                 PAI ETERNO

         Quando havia festa na Igreja
         Meu coração transbordava de amor.
         Ia para bem perto do altar,
         Via a Glória do PAI, anjos, santos...
         Respirava fundo o incenso,
         Ouvia os sinos tocando,
         Atenta ao sermão do padre,
         Meu coração aos saltos,
         Sentia a presença de Deus,
         Tão junto de mim,
         Que minhas lágrimas escorriam
         Grossas e silenciosas pelo meu rosto.
         Voltava para casa, quase em transe,
         Vi! Deus me visitou e ainda estava em mim!

         Rosa Negra- Rosabgontijo- 23/03/2011

domingo, 19 de junho de 2011

PESSOAS E MÚSICAS

Pessoas são músicas aos ouvidos meus...
Outras, poesia ou sinfonia,
Cada uma feita para um tempo que passou.

Quando um sertanejo canta
Músicas do sertão,
Lembro um carro parando de surpresa
Buzinas, alegria, contaminando.

Uma pessoa amorosa, carregada de carinho,
Palavras doces, mais doces trazendo nos braços,
Muitos abraços.
Levava alegria a quem a vida para longe levou.

A vida transforma pessoas e o transformou
Ouvia versos dizendo que o homem chora
Também chorei quando o homem chorou.

Quando o homem chorava,
Ouvia a música, sofria, torcia,
Para quem tanto amava e ele nem sabia
Qual música o trazia aos ouvidos meus.

Escutava a melodia triste
Queria que a vida virasse, transformasse,
A tristeza em alegria e transformou.

O tempo passou, qual música será?
Que ao ouvi-la vou me lembrar,
Do que fomos, o que ficou?

Sei que será triste lembrar o que passou!
Será um tango ou um bolero,
Talvez uma música de botequim
Só sei que ela falará por mim.

Rosa Negra- Rosabgontijo-13/08/2008

           COMO MEDIR?


      Qual o limite?
      Entre o amor e o ódio,
      Entre a dor e o prazer,
      Entre o sofrer e a alegria?
      Da lucidez à loucura,
      Do sonho ao delírio,
      Da maldade, a inocência?
      Qual será o limite?
      Do poder, da ambição, da destruição?
      Qual será a hora de parar,
      Se olhar e olhar para o irmão?
      Que está no seu limite,
     
      Do desamor,
      De dor,
      De sofrer,
      De lucidez,
      De abandono,
      De desilusão,
      Da esperança.
      Da perseguição.
      Que está no seu limite
      Do contido grito,
      Engolidas lágrimas.
     
      Se fazer desentendida?
     
      Qual será esse limite?
      Entre seu prazer e o sofrer do irmão...

     Rosa Negra- Rosabgontijo-12/10/2007

domingo, 12 de junho de 2011

SONHO MEU

                 
         
         
         

          ESTOU ACORDADA, MAS SONHO!
          ESTAMOS NA PRAIA,
          A NOITE CHEGOU DE MANSINHO...
          TRAZENDO SEU CARINHO 
        
         NA REDE ESTOU COM MEU AMOR
VEMOS A LUA BEIJANDO O MAR,
EM CADA MOVIMENTO DAS ONDAS
SEUS LÁBIOS SE TOCAM...
        
         OUVIMOS A MÚSICA DAS ÁGUAS,
         QUE BATEM NAS PEDRAS
         E SE JOGAM DO ALTO NO MAR
         NUM MOVIMENTO RITMADO E BELO
         
         A BRISA SOPRA NOS COQUEIRAIS
TRAZENDO O PERFUME DA MARESIA.
ESCUTAMOS O CANTO DAS SEREIAS
         O VAI E VEM SEM FIM DAS ONDAS.
         
         O MAR ESCURO LEMBRA ABISMO
         ONDE SONHOS FORAM ENTERRADOS!
         ONDE HÁ FLORESTAS,
         ANIMAIS ENCANTADOS.
               
          TE ABRAÇO. SINTO SEU CORPO...
 O SAL DA ÁGUA MISTURA EM NOSSA BOCA
 NOS  MISTURAMOS  COM A ÁGUA
 QUE CHEGA EM NÓS, 

 JÁ NÃO SEI MAIS QUEM SOU!
          DIAS E NOITES SEM FIM,
          CHEGARAM, PARA NÓS DOIS,
          E NOSSO AMOR!



ROSA NEGRA-ROSABGONTIJO-07/06/2007

sábado, 11 de junho de 2011

A CAIXA DE PANDORA

 

Ainda não abri
A Caixa de Pandora.
Nela as dores veladas
habitam abafadas
Do que consome minha alma
meu frágil coração
Guardei a sete chaves

Rosa Negra- rosabgontijo-04-01-2012

COBERTOR
 

Quando, na madrugada fria,
Procuro seu corpo para um aconchego,
Para me aquecer do frio,
Sua mão para um carinho,
Sua boca ressonando...
Te vejo dormindo como uma criança.

Cubro com meu corpo o seu corpo,
Enlaço, abraço, te beijo.
Meu homem forte está com frio.
A mim entregou todo seu calor,
O que restou a ele devolvo,
E somos dois a retirar o cobertor.

Rosa Negra- rosabgontijo-29/12/2007

quarta-feira, 11 de maio de 2011

UM ANO SEM LEILA

Minha doce amiga Leila, foi encantar outros lugares.
Partiu há um ano, depois de travar uma grande guerra contra uma doença incurável.
Quando ela me contou do seu problema, o fez com uma calma e aceitação que me surpreendeu.
Leila era uma pessoa feliz, cheia de vida, alegrava onde estava.
Parecia saber das surpresas que a vida nos traz.
Me disse com uma resignação e ao mesmo tempo, uma esperança, que só as mães têm. Pedi a Deus duas coisas:
“-Não queria perder a alegria de viver, também queria tempo.”
Precisava preparar seus filhos para o que desse e viesse.
Como as mães tem grande crédito com Deus, a ela foi concedido mais duas
décadas de vida. Ela merecia esta oportunidade, já que seus filhos eram crianças, ainda dependentes dela.
Leila me dizia que soube preparar seus filhos para serem independentes.  
Não perdeu seu tempo, nem sua alegria, nem sua dignidade. Vivia um dia de cada vez.
Como boa mãe que era, dedicou suas horas a seus filhos, seu marido e ao trabalho. Leila era uma artista talentosa! Soube como ninguém fazer tecer o belo, com aquelas mãos lindas de pianista.
Mas não se esquecia das irmãs, sobrinhos, amigas e todos que passaram por sua vida e fizeram seus dias melhores.
 Quando nos falamos pela última vez, me disse que estava de cama, que havia emagrecido muito e queria ir para a terra do marido, (que ela adorava) para descansar.
Pensei comigo, não verei a Leila no casamento de minha filha!
Sem lágrimas, sem reclamar, sem pedidos recomendações ou qualquer coisa que fosse emocionar, nos despedimos sem a palavra adeus...
Pouco tempo depois, tive a noticia triste que já não estava mais entre nós.
Minha querida amiga, tão boa, alegre, tão cheia de talentos foi passear no céu. Foi alegrar os anjos, tecer maravilhas com fios de luz, das mãos de Maria.

Rosângela Brasil Gontijo- Rosa Negra- 15/09/2010



sábado, 7 de maio de 2011

               MINHA MÃE,  ESTRELA MINHA

              MINHA MÃE, RAINHA MINHA!
              TANTO TE AMO COMO ADMIRO!
              OUÇO SEU CORAÇÃO CHAMAR
              NO MEU PENSAR, ADIVINHO!

             QUER ME DAR CARINHO, CONSELHOS,
             FALAR DE DEUS, DA FAMÍLIA, DO PASSADO.
             DO AMOR QUE NUNCA MORREU,
             DE PARENTES QUE NEM CONHECEU.

             QUER CONTAR DOS FILHOS, DOS NETOS,
             PREOCUPA-SE,  ALEGRA, SORRI, ME FAZ SENTIR!
             MINHA MÃE ESTRELA GUIA, GUIA MEUS PASSOS!
             PEÇO AO VENTO QUE TE TRAGA PRA MIM.

             PEÇO A DEUS, TE CUIDA, TE ANINHA!
             PEÇO A DEUS TE PROTEJA, TE ABENÇOA!
             PEÇO QUE NUNCA ME DEIXE! NUNCA SE VÁ!
             SEM VOCÊ A VIDA É TRISTE E VAZIA,
             MÃE!

                 ROSA NEGRA- ROSABGONTIJO-27/04/2011
                         
             

quarta-feira, 13 de abril de 2011

               BULLYING


Para mim, a ação é covarde, desumana,  filha da maldade.
Trás conseqüências psicológicas graves para quem a sofreu.
É covarde porque é um grupo contra uma só pessoa. Os mais fortes contra o mais fraco.
Crianças, adolescentes, até mesmo adultos, sofrem, em todos os lugares, este tipo monstruoso de discriminação, desrespeito.
Pais não tão presentes, não percebem o sofrer do filho, talvez mais fragilizado, mais dependente, mas como todo ser humano precisa ser respeitado nas suas diferenças.
Muitas vezes ameaçado não denuncia o que acontece, por mêdo!  
Por outro lado crianças criadas como se fossem príncipes ou princesas se acham melhores que outras e abuzam. Ou a própria maldade alimentada se junta, ai começa a perseguição.
 Crianças que são perseguidas, humilhadas dentro da sociedade se tornam um deposito de lixo, que, a cada dia, aumenta, e depositam nele o pior de cada um.
Que podemos esperar de quem é tão sofrido, abusado, enjaulado, escorraçado pela sociedade?
Ou eles se trancam e não convivem, tem medo, fobia, pânico, ou esperam ter forças para vingar o que lhe fizeram. Normalmente quem não tem poder aquisitivo para fazer um tratamento psicológico, se torna um assassino em potencial.
A ferida aberta, não cicatriza, eles planejam tudo, nos mínimos detalhes. Quietos, paralisados naquele momento da agressão. A vida não continua para os surtados, pelo desrespeito, pelas maldades repetidas.
Um dia, quando menos se espera, ele se transforma num agressor monstruoso.
Sua vida já não tem mais sentido, ai ele vai se vingar em pessoas que lembram seus agressores.  Pessoas que não tem nada haver sofrem pelo que outros fizeram!
Com arma em punho, sai atirando em crianças, jovens, nas escolas, nos shoppings, em qualquer lugar onde possa fazer um grande massacre. 
Os pais se desesperam, mães enlouquecem, a sociedade revolta, sem entender tal ato!
Pessoas querem do governo proteção nas escolas, mas, se esquecem que a obrigação de educar o filho é deles.
Filhos sem respeito, que marginalizam seu semelhante, fazem brincadeiras humilhantes, desrespeitam professores, autoridades, ameaçam qualquer um, dirigem embriagados, põem fogo em pessoas dormindo nos bancos das praças...
Os pais acham normal, coisa própria de gente da sua idade!
Como leões defendem seus filhos, não corrigindo, encoraja-os a serem ainda mais marginais.
Não percebem que dentro de sua casa também é criado um monstro, responsável pela morte da sanidade, do equilíbrio de um ser. Também um assassino! 
Existem muitos tipos de morte. Uma é aquela que é fatal, a outra é no dia a dia, devagar, torturando! Até que a pessoa se transforma, talvez num assassino de outros ou um suicida. 
Para que tanta violência acabe, a responsabilidade de colocar limites, começa em casa.
Não podemos colocar todo o peso na polícia, na escola, no governo.
Também nós somos responsáveis!
A pergunta não é "porque ele fez?"
Deveria ser “o que o levou a fazer?”


Rosa Negra- rosabgontijo-10/04/2011
   

sábado, 9 de abril de 2011

GOSTO DE CRIAR

 



  1. Gostei de criar meus filhos
                    Que são minha maior paixão!
                    Quatro nascidos de mim,
                    E muitos do coração.

                    Gosto de plantar flores,
                    Fazer um jardim,
                    Fazer artesanato,
                    Mexer com barro,
                    Desenhar, fotografar,
                    Registrar, escrever.

                    Gosto de cozinhar,
                    Criar pratos diferentes,
                    Gosto de reformar casa,
                    Fazer decoração.

                    Gosto de criar laços de amizade,
                    Aquelas que duram,
                    Enquanto a gente durar.

                    Gosto de criar tudo que envolve
                    Entrega amor, emoção, paixão.
Gosto de realizar sonhos!

Rosa Negra – rosabgontijo-12/12/2006

quinta-feira, 7 de abril de 2011

UM BRINDE À UNIÃO

A taça partiu
no brinde
já não havia paz
não houve olho no olho
o sorriso, enganador
tudo perdido
quando você
completamente nua e vazia
repelindo a poesia
se mostrou
onde está a força
onde mora o rompante
se tem medo como criança
o que bebe
não é vinho doce
amarga a garganta
é fel
é preciso ser fiel
seu brilho
como um brilhante falso
como um sol  colorido no papel
como um eclipse
precisa cobrir o outro
quando a lua
ou a primeira estrela aparecer,
enxergarão na escuridão da noite.

Rosa Negra- rosabgontijo-01/08/2007



Rosa Negra- Rosabgontijo-29/10/2007
                     










       


        NA VIDA FUI SORTEADA

        TENHO TUDO QUE SONHEI

        DEUS ME DEU SABEDORIA PRA SABER

        NÃO SOU NINGUÉM

        NÃO SOU ROSA, NÃO SOU ANJO

        NÃO SOU NINGUÉM

       SOU UMA VELHA SEM RAZÃO



       FAÇO VERSOS QUEBRADOS

      SEM MÉTRICA SEM RIMA

      SEM POESIA SEM MELODIA

      NÃO TENHO OUSADIA DE ME ACHAR

     MAS ME ACHARAM, BORBOLETA

     SIGO MEUS DIAS FELIZ  EM PAZ



     ONDE NÃO VOU ESTOU

    CHORANDO MINHA ALEGRIA

    SORRINDO BEBENDO POESIA

    FALANDO DA ROSA QUE NÃO SOU

ROSA NEGRA - rosabgontijo-






     ROSA NEGRA- Rosabgontijo-01/08/2007

quarta-feira, 6 de abril de 2011

VEJO


                    


                














                   Da janela  num quarto da fazenda vejo
                   Uma abelha que pousou nos Brincos de Princesa
                   Sugou todo o néctar sem ser perturbada.

                  Um Bem Ti Vi, balançando no fio de eletricidade
                  Como se fosse rede.

                  Um cão que dorme à sombra de uma árvore,
                  Não se importando com as moscas que voam e voam.

                  Vacas bebendo água do córrego que desliza preguiçoso.

                  Sapos num diálogo sem fim, ao entardecer!

                  João de Barro construindo seu ninho, esperando sua amada!

                  Até morcegos pendurados de cabeça para baixo, eu vi!

                  Nada me amedrontou!

                  Neste lugar que aprendi a amar cada pedacinho, animal, verme ou planta,
                  Sinto a paz que a cidade grande não me trouxe.

                   Nem as pessoas me deram!

                     Rosa Negra- rosabgontijo- 09/02/2008

terça-feira, 5 de abril de 2011

                         A MENINA DA ROÇA


                    Já era quase noite
                    Quando a menina chamou.
                   
                    Atravessou o bambuzal,
                    Atolou no barro suas botinhas,
                    Pulou cercas, desceu no quintal.
                 
                    Chegou tímida e linda!
                    Cabelo trançado, toda enfeitada, vestido bonito,
                    Prendedores de cabelo, lábios vermelhos de batom.
                    Fazia pose para as fotos que batia.

                    Voltou correndo para casa
                    Atravessou o escuro sem medo,
                    Abriu porteiras, seguiu correndo feliz
                    Logo depois a tempestade começou.

                    Ela nem ouviu a chuva forte caindo
                    Relâmpagos, raios, trovões
                    Pensava só nas fotografias...
                    
                   Rosa Negra- Rosabgontijo-19/01/2007