domingo, 24 de novembro de 2013

A FAZENDA




    A  FAZENDA

Hoje, ensolarada e clara, janelas escancaradas,
portas abertas pra quem chegar...
Rede na varanda para descansar.
Coloriram de verde as matas,
até onde pude enxergar!

Pássaros no ninho,
meninos que vêm visitar!
Uma música chora baixinho,
balanço bem devagar.

Risos, namoro...conversa ao pé do ouvido.
Quando o sol quase se deita, atrás das montanhas.
Há fogo no céu e na terra!
Aquece o corpo e a alma, nada perturba esta paz.

Quando a noite chega a gente vai dançar!
Debaixo da janela do quarto,
o córrego canta solitário,
uma canção chuvosa nos leva a namorar.

Longe, o mugido de uma vaca,
grilos cricrilam, sapos coaxam...
O vento sopra nas frestas da janela.
Esta serenata me acorda.

O corpo cansado, pesado de cobertas.
Galhos de árvores balançam lá fora.
O coração está feliz,
a alma leve, como se não tivesse pecado.

Gosto deste lugar!
De dia a menina brinca, enfeita a casa!
A noite a mulher sonha que vai casar!

Rosa Negra- rosabgontijo-19-05-2006